Como a nova economia dos Micro-SaaS possibilita que empreendedores comprem, aluguem ou vendam startups 

Quais são as vantagens de comprar, alugar ou vender startups?

Bruno Okamoto
8 Min de leitura
Como a nova economia dos Micro-SaaS possibilita que empreendedores comprem, aluguem ou vendam startups

Como começar a sua startup

Quando comecei a empreender com startups passei várias semanas desenhando como seria o modelo de negócio. Entrevistei possíveis clientes, entendi as dores e qual seria o produto da minha startup. 

Segui o manual de cabeceira de todo startupeiro. Foram dezenas de horas entre Canvas e entrevistas até entender qual seria nosso produto mínimo viável (MVP). Em seguida, busquei entender quais eram as opções para desenvolver minha plataforma:

  • Ter um sócio desenvolvedor.
  • Contrando um desenvolvedor que você rezava para ele ser foda e virar seu sócio.
  • Terceirizando (seja com um dev ou uma software house), mas sem experiência nenhuma. Em nada. (acabei indo por este caminho).
  • Passando horas no youtube aprendendo a desenvolver.
  • Montar um site em wordpress/WiX.

Quer participar da primeira e maior comunidade de Micro-SaaS do Brasil?

  • Conheça todas as novidades do mercado
  •  Faça networking
  •  Troque informações e conhecimento com profissionais de tecnologia, marketing e negócios

 Junte-se a mais de 5.000 profissionais em nossa Comunidade de Micro-SaaS BrasilConheça aquiÉ Grátis!

Canvas da minha primeira startup

Desenvolvimento sempre foi um desafio enorme para minha carreira. Demorei anos para entender como funcionava uma área de produto

Quando descobri que não fazia sentido o problema que estava resolvendo e as pessoas não estariam dispostas a pagar, decidi fechar a empresa. Perdi horas de estudos, materiais e mais de 15 mil em desenvolvimento da plataforma. Ainda me custou mais 2 mil para fechar o CNPJ. O Brasil é para os fortes.

Hoje em dia já existem diversos caminhos que um empreendedor pode começar sua startup:

  • Ferramentas no-code (ex: bubble, webflow).
  • Ferramentas de validação (landing pages, comunidades, conteúdo).
  • Centenas de ferramentas “whitelabel” (você contrata o produto de um terceiro e customizá-lo como seu) que você pode revender.
  • Contratar freelancers nas redes sociais (ex: fivver, upwork, etc) onde podem construir sites e produtos por valores relativamente baixos.

Essas são só alguns que me vieram à mente. Na verdade, existem centenas de possibilidades para começar uma startup hoje gastando muito pouco ou quase nada.

Por exemplo, na EUNERD durante um período de validação de nossa proposta de valor para médias e grandes empresas, usamos uma infraestrutura de um marketplace da Índia. Fizemos o front-end “whitelabel” com a marca da EUNERD e saímos vendendo para validar se havia interesse (e se a gente resolvia de fato um problema) e mercado. Isso nos ajudou a entender por onde começar nosso próprio desenvolvimento.

Vendo meu MVP

Com a nova economia do Micro-SaaS surge a possibilidade de empreendedores comprarem, alugarem ou venderem sua startup para outros empreendedores.

Compro MVP usado. Pago bem!

Em 2022, empreendedores podem liquidar seus ativos dentro de marketplaces como Microaquire ou Tiny Acquisition. Apesar de já existir soluções anteriormente na internet, os novos players transformaram todo processo de M&A em produto de prateleira. Talvez, a maior diferença tenha sido o “timing”.

  • O empreendedor se capitalizou imediatamente e não teve prejuízos com seu negócio.
  • O comprador não precisou quebrar a cabeça para montar um produto para validar proposta de valor e conseguir os primeiros clientes pagantes.

Comprar e vender startups vai se tornar uma prática mais comum do que imaginamos

Resultado de M&A da MicroAquire em jan/fev 2022

Isso abre a porta para um novo público surgir no mercado:

– Os “wanna-be-entrepreneurs” (empreendedores que têm receio de abandonar a CLT) agora tem uma barreira de entrada muito menor. Podem comprar uma startup já montada por um custo acessível. Podem, inclusive, ter este projeto como um “side project” para ir aprendendo de forma mais barata.

– Abre porta para “novos empreendedores”. Em vez de abrir uma franquia do Subway por 1M (guessing!). Ele pode comprar dois Micro-SaaS e ter uma escalabilidade muito maior.

– Surgem empreendedores que compram vários Micro-SaaS para criar uma empresa de receita recorrente: os Micro Private Equity.

– Você pode comprar um emprego! (Não precisa da ideia perfeita. Alguém já teve por você).

– Os anjos das startups que não conseguiram ir para próxima rodada, tem um retorno em vez de sair com 100% de prejuízo.

– Os empreendedores podem pivotar sem medo de errar. Se não der certo, podem vender e partir para o próximo projeto.

Consigo pensar em muitos cenários… E isso é maravilhoso!

Minha teoria para o futuro (não muito distante)

Quantidade de startups vendidas pela MicroAquire

Acredito que com a “produtização” do M&A de Micro-SaaS abre inúmeras possibilidades tanto para os empreendedores seguirem em frente como também, possibilidade para outros empreendedores iniciarem uma nova jornada.

Compra / aluguel / venda de startups para empreendedores B2B

Pequenas empresas e startups podem adquirir ativos de empreendedores que estejam precisando de uma saída. Podem comprar a tecnologia, base de clientes, fornecedores, etc. O M&A se torna um produto de prateleira e muitas vezes não precisa adquirir o CNPJ.

É claro que entendo a complexidade burocrática desse quebra-cabeça. Como isso funcionaria no Brasil e todas barreiras no caminho, mas mesmo assim acho que é possível

Para novos aspirantes ao empreendedorismo digital

Você trabalha em uma grande corporação. Tem um salário bacana, benefícios bons. Uma vida tranquila. Seu objetivo no longo prazo é juntar uma grana e empreender. Você gostaria muito de empreender com startup, mas tem receio de dar o próximo passo ou espera a ideia perfeita.

Você pode comprar um software, que tem um produto minimamente validado e uma base de clientes. A ferramenta não precisa ser necessariamente um código robusto, pode ser uma ferramenta no-code. Você consegue comprar uma startup e empreender sem os grandes riscos de sair do zero. Você pode, inclusive sem sair do seu trabalho, ir alimentando aos poucos seu investimento e fazendo ele crescer mês a mês. Errando e aprendendo com um investimento relativamente “baixo”.

Renda passiva com zero trabalho?

Agora, se você está aí pensando: “po, então posso comprar um Micro-SaaS e ter uma receita passiva o resto da vida”. Então você faz parte dos 90% das pessoas que pensam isso lendo até aqui. Mas a verdade é que a chance disso não dar certo é BEM alta. Como diz o Andrew, da Xo. Então, quer dizer que 70% das startups do Brasil tem 3 anos de vida e faturam menos de 30k mês podem se tornar um business rentável? Acredito que sim… Um novo mercado vai surgir e estou ansioso por ver. 

Compartilhe este artigo
Deixe um comentário